segunda-feira, 4 de agosto de 2008

O lado b da moda


Olá a todas as meninas que estejam a ler estas linhas neste preciso momento. Parece que este blog sempre vai andar para a frente. É com entusiasmo que o afirmo porque, verdade seja dita, nunca levo uma iniciativa desta magnitude avante. Também nunca me lancei numa demanda tão altruísta como esta; altruísta porque não faço este blog só para mim, mas para todas as interessadas. Decidi, deste que concebi a ideia de iniciar este blog, que a sua temática não seria única e exclusivamente moda, moda e mais moda. Tenho inúmeros interesses na vida, a moda é só mais um (e relativamente recente, acrescento). Assim, vou aproveitar este espaço para partilhar muitas outras coisas.

No entanto, hoje o post vai mesmo ser sobre moda por uma razão muito simples. Enquanto fazia o profile do hi5 para o blog (como estratégia de marketing para angariar leitoras- ahaha), procurei no google algumas imagens artísticas de moda, pelo que me apareceu um artigo de opinião- cuja fonte já esqueci- que tentava deitar abaixo a indústria da moda à força. Não vou negar que alguns males da sociedade podem ter a sua origem na mesma (não querendo isto dizer que atribuo à indústria da moda todos e quaisquer casos de anorexia que apareçam por aí); agora, o que a pessoa que escreveu o dito artigo ignora é que a moda pode igualmente gerar algum bem no mundo.

Um grande exemplo disso é a campanha do Fashion Against Aids (que já devem conhecer).
A fim de alertar as camadas mais jovens para os perigos do HIV/AIDS, a Designers Against AIDS, uma organização sem fins lucrativos, lançou a colecção "Fashion Against Aids". O seu objectivo? Moldar a opinião pública através da colaboração com designers de moda, músicos e outros artistas, contando também com a colaboração da H&M.
Os artistas colaboram gratuitamente e 25% dos lucros da colecção revertem para projectos de prevenção da sida em todo o mundo.
Entre os artistas que apoiam esta campanha encontram-se Rihanna, Chicks on Speed, Good Charlotte, Henrik Vibskov, Jade Jagger, Katharine Hamnett, My Chemical Romance, Rufus Wainwright, Scissor Sisters, The Cardigans, Tiga, Timbaland e Ziggy Marley.



A colecção Fashion Against Aids inclui coloridas t-shirts, sweat-shirts com capuz e tank tops em algodão biológico, com preços a variar entre 9,90 e 29,90 euros.







Sidenote: Adoro esta iniciativa e a maioria das peças, mas não sei se ia gostar muito de andar com uma t-shirt com a frase "USE A CONDOM" com letras garrafais. :P






fotos: 1- Katherine Hammet, 2- colecção H&M Fashion Against AIDS, 3- Rihanna



By Kay

2 comentários:

( ) disse...

se a fashion against aids é uma organização sem fins lucrativos e, no entanto, só 25% dos lucros da colecção vão para projectos de prevenção da sida, isso deixa-nos com os restantes 75%, usados em exactamente o quê?

Miuccia disse...

Percebeste mal. Eu nunca disse que a Fashion Against Aids era uma organização sem fins lucrativos. A Designers Against AIDS é que é.
Mais, se a Designers Against Aids não recebe nada e 25% revertem a favor de projectos de prevenção, 75% devem ir para a H&M, não?